74% dos empregadores não preveem contratar no 3º trimestre, diz pesquisa do ManpowerGroup

74% dos empregadores não preveem contratar no 3º trimestre, diz pesquisa do ManpowerGroup

15% têm intenção de contratar e 8% devem reduzir as equipes no 3º trimestre; 15% dos entrevistados esperam que o ritmo de contratação retorne aos níveis pré-pandemia a partir de janeiro de 2022. Em meio à instabilidade econômica, intensificada pelo agravamento da pandemia, pesquisa de Expectativa de Emprego do ManpowerGroup mostra que 74% dos empregadores não pretendem fazer alterações no quadro de funcionários, enquanto 15% têm intenção de contratar e 8% devem reduzir as equipes no 3º trimestre. O indicador de empresas com intenção de contratar diminuiu 6 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior.
O indicador de expectativas de contratação no Brasil para o 3º trimestre é de 7%, dois pontos percentuais abaixo em relação ao 2º trimestre e 21 pontos percentuais acima em relação ao 3º trimestre de 2020, quando a Covid-19 teve seu primeiro impacto nas intenções de contratação.
O resultado coloca o Brasil em 28º lugar no ranking de 43 países e territórios pesquisados, liderado pelos Estados Unidos, com expectativa de contratação de 25% (veja ranking abaixo).
O levantamento revelou ainda que 15% dos empregadores esperam que o ritmo de contratação retorne aos níveis pré-pandemia já nos próximos 3 meses, enquanto para outros 15% a retomada é esperada a partir de janeiro de 2022.
Foram ouvidos 750 empresários brasileiros entre os dias 7 e 27 de abril.
Todos os oito setores pesquisados esperam aumentar as contratações no próximo trimestre. As melhores intenções são previstas no setor de Agricultura, Pesca & Mineração (leia mais abaixo).
“Estamos atravessando um momento desafiador com altos índices de desemprego. Apesar das incertezas sobre a retomada econômica no país, a pesquisa traz pelo terceiro trimestre consecutivo uma expectativa de contratação positiva, o que demonstra que empresários enxergam com algum otimismo os próximos meses para novas demandas e para o mercado de trabalho. Vale destacar o setor de Agricultura, Pesca & Mineração e o estado de Minas Gerais, que ajudaram a impulsionar os indicadores para o 3º trimestre de 2021. Também vale a reflexão sobre o fato de as empresas estarem aprendendo mais rapidamente a navegar no cenário de pandemia, isolamento e incertezas, e o mercado pede essa capacidade de adaptação para a sustentabilidade dos negócios, diz Erika Destro, CFO do ManpowerGroup Brasil.
Comparativo por setores
Todos os oito setores pesquisados preveem aumento nas contratações para o próximo trimestre. O destaque fica para o setor de Agricultura, Pesca & Mineração, com 12%, crescimento de 8 pontos percentuais em relação ao 2º trimestre de 2021 e 21 pontos percentuais em relação ao mesmo período de 2020.
O menor ritmo de contratação é esperado em Administração Pública & Educação e Transporte & Serviços Públicos, com 5%. Na Administração Pública & Educação, houve aumento de 10 pontos percentuais nas intenções de contratação em relação ao 2º trimestre.
As intenções de contratação diminuíram em quatro dos oito setores na comparação com o trimestre anterior. Os empregadores no setor de Comércio Atacadista & Varejista relataram a queda mais expressiva, de 5 pontos percentuais, enquanto nos setores Industrial, de Construção e de Serviços, as expectativas diminuíram 3 pontos percentuais. Em relação ao 3º trimestre de 2020, o setor de Serviços apresentou a maior recuperação, de 27 pontos percentuais. Veja abaixo:
Agricultura, Pesca & Mineração: 12%
Finanças/Seguros & Imobiliário: 11%
Indústria: 11%
Serviços: 11%
Comércio Atacadista & Varejista: 7%
Construção: 7%
Transportes & Serviços Públicos: 5%
Administração Pública & Educação: 5%
Comparativo por regiões
A projeção mais otimista foi apontada pelos empregadores de Minas Gerais e do Paraná, ambos com 15%. Minas Gerais apresentou crescimento de 8 e 31 pontos percentuais em relação ao 2º trimestre de 2021 e ao mesmo período do ano passado, respectivamente. Já o estado do Paraná teve uma queda de 3 pontos percentuais no comparativo trimestral e cresceu 18 pontos percentuais em relação ao 3º trimestre de 2020.
O Rio de Janeiro é o estado que registra as intenções mais fracas, com 2%, redução de 3 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior, mas uma recuperação de 17 pontos no comparativo anual. Veja abaixo:
Estado de Minas Gerais: 15%
Estado do Paraná: 15%
Grande São Paulo: 9%
Cidade de São Paulo: 3%
Estado do Rio de Janeiro: 2%
Comparativo por porte de empresa
Os empregadores em todas as quatro categorias de porte de empresas esperam um aumento nas contratações no terceiro trimestre de 2021. As intenções de contratação mais fortes são apresentadas pelas grandes empresas, com uma expectativa de 21%.
Enquanto isso, a expectativa mais fraca é relatada por pequenas empresas, com 1%. No caso das microempresas, o aumento nas intenções de contratação foi de 10 pontos percentuais na comparação com o trimestre anterior.
Grandes empresas (acima de 250 funcionários): 21%
Médias empresas (50 – 249 funcionários): 8%
Microempresas (menos de 10 funcionários): 6%
Pequenas empresas (10 – 49 funcionários): 1%
Pesquisa global
Para o período de julho a setembro, os empregadores esperam um aumento nas contratações em 42 dos 43 países e territórios pesquisados pelo ManpowerGroup, enquanto em um estima-se que as atividades de contratação permanecerão estáveis. Nos Estados Unidos, que têm a melhor expectativa, os empregadores relataram as intenções de contratação mais fortes no país nos últimos 21 anos.
O ManpowerGroup entrevistou mais de 45 mil empregadores. Veja abaixo o ranking com os índices de expectativa de contratação:
Estados Unidos: 25%
Taiwan: 24%
Austrália: 17%
Grécia: 15%
Irlanda: 15%
Singapura: 15%
Croácia: 14%
Bélgica: 13%
Bulgária: 13%
China: 13%
Romênia: 12%
Alemanha: 11%
Israel: 11%
Noruega: 11%
Suécia: 11%
Áustria: 10%
Japão: 10%
Costa Rica: 9%
França: 9%
Guatemala: 9%
México: 9%
Holanda: 9%
Eslovênia: 9%
Canadá: 8%
Hungria: 8%
Suíça: 8%
Reino Unido: 8%
Brasil: 7%
Índia: 7%
Itália: 7%
Polônia: 7%
Eslováquia: 7%
Turquia: 7%
Finlândia: 6%
Colômbia: 5%
Portugal: 5%
República Tcheca: 4%
Espanha: 4%
Peru: 2%
Argentina: 1%
Panamá: 1%
África do Sul: 1%
Hong Kong: 0%

administrator

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *