Audiência discute projeto que permite inclusão de locatário devedor em serviço de proteção ao crédito

Audiência discute projeto que permite inclusão de locatário devedor em serviço  de proteção ao crédito
vadimphoto1/DepositPhotos
Um homem segura uma chave. Ao fundo em cima da mesa, desfocada, há uma folha de papel
Locatário deverá ser avisado sobre a dívida antes de ser inscrito no cadastro de devedores

A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados discute na próxima segunda-feira (14) o projeto que permite a inclusão de locatário inadimplente em cadastro de restrição de crédito (PL 7733/17).

“A antiga lei do inquilinato, que já perdura por quase duas décadas no Brasil, possui um tratamento, não raras vezes, muito desequilibrado para as relações contratuais entre o locador e o inquilino”, afirma o autor da proposta, deputado Carlos Henrique Gaguim (DEM-TO), ao defender a medida.

Para ser justo, Gaguim explica que teve o cuidado de estabelecer que, tão logo
tenha sido normalizado o pagamento, o locador deverá providenciar a
imediata exclusão do nome do locatário do respectivo cadastro, sob pena de multa.

O relator, deputado Celso Russomanno (Republicanos-SP), sugere a aprovação do projeto com uma emenda sugerida pelo deputado Eli Corrêa Filho (DEM-SP) que exige que o locador notifique o locatário sobre valores em aberto, conferindo prazo de 30 dias para a quitação antes de efetuar o registro no sistema de proteção de crédito.

Foi Corrêa Filho quem pediu a realização da audiência, que ouvirá:
– o consultor jurídico da União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs), Rafael Freitas Machado;
– a gerente jurídico da Confederação Nacional de Dirigentes Logistas (CNDL), Vivian Meira Avila Moraes;
– o presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo, Alfredo Cotait Neto;
– o presidente da Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg), Cláudio Marçal Freire; e
– o diretor-executivo de Assuntos Jurídicos da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Vicente de Chiara.

A audiência será realizada no plenário 8, a partir das 10 horas, e poderá ser acompanhada ao vivo pelo portal e-Democracia. Os interessados poderão, inclusive, enviar perguntas, críticas e sugestões aos convidados.

administrator

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *