Centenário de Ivone Lara é louvado por João Cavalcanti em álbum que busca a beleza dos sambas da compositora

Centenário de Ivone Lara é louvado por João Cavalcanti em álbum que busca a beleza dos sambas da compositora


♪ Na próxima quarta-feira, 13 de abril, o Brasil – ou, ao menos, o mundo do samba – vai festejar o centenário de nascimento de Ivone Lara (13 de abril de 1922 – 16 de abril de 2018), uma das pioneiras e mais relevantes compositoras da história do gênero musical.
Conterrâneo de Dona Ivone, o cantor carioca João Cavalcanti entra na festa com a edição do single Nasci pra sonhar e cantar.
A abordagem da parceria da compositora com o letrista Delcio Carvalho (1939 – 2013) – apresentada por Ivone há 40 anos no quarto álbum da artista, Alegria minha gente (Serra dos meus sonhos dourados), de 1982 – é a primeira amostra do álbum Ivone rara – 100 anos da dona do samba, gravado por Cavalcanti em março deste ano de 2022 no estúdio Gargolândia, situado em fazenda de Alambari (SP), no interior do estado de São Paulo.
O álbum Ivone rara – 100 anos da dona do samba foi gravado sob direção musical de Marcelo Caldi, autor do arranjos e responsável pelo toque da sanfona no disco que também reúne Adriana Holtz no violoncelo, Claudia Elizeu no piano e Wanessa Dourado no violino.
Capa do single ‘Nasci pra sonhar e cantar’, de João Cavalcanti
Leo Aversa com arte de Miriam Roia
“A ideia do álbum é sublinhar a exuberância melódica inventada por ela. Tive a chance de estar com Yvonne Lara da Costa em algumas situações. Sempre me impressionaram a elegância, a fortaleza e a envergadura histórica de sua figura. Essas virtudes se aglutinavam toda vez que a voz dela cantava suas melodias, super populares, mesmo sendo incrivelmente complexas. Yvonne – ou Ivone, como findou por adotar – tinha esse raro dom de trafegar entre a erudição e a linguagem da rua, entre a sofisticação e a simplicidade, com uma leveza que a fazia pairar sobre as molduras convencionais. E foi justamente essa busca que iniciamos quando mergulhamos no repertório dela: seguir os passos dessa Ivone rara, dona do samba, e buscar a beleza, somente ela, sem dar muita importância para as etiquetas”, relata e caracteriza João Cavalcanti, dando a pista do tom do álbum Ivone rara – 100 anos da dona do samba.

administrator

Related Articles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *