Gasolina da Petrobras cai 2% nas refinarias; diesel segue estável

Gasolina da Petrobras cai 2% nas refinarias; diesel segue estável


Estatal destcou que “os reajustes são realizados a qualquer tempo, sem periodicidade definida, de acordo com as condições de mercado e da análise do ambiente externo”. Petrobras reduz preço da gasolina nas refinarias; Na foto, carro sendo abastecido em posto de combustível
Globo
A Petrobras reduzirá o preço médio da gasolina nas refinarias em cerca de 2%, para R$ 2,53 por litro, a partir de sábado, em seu primeiro reajuste de valores desde o início de maio, informou a assessoria de imprensa da petroleira nesta sexta-feira (11).
O preço médio do diesel a distribuidoras, por sua vez, não sofrerá alterações e será mantido a R$ 2,71 por litro.
Foi o segundo reajuste feito na gasolina pela gestão do presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, que tomou posse em 19 de abril, em substituição ao Roberto Castello Branco, que deixou a empresa devido ao descontentamento de Jair Bolsonaro com mudanças mais frequentes nas cotações efetuadas pela administração anterior.
“Importante reforçar o posicionamento da Petrobras que busca evitar o repasse imediato para os preços internos da volatilidade externa causada por eventos conjunturais”, disse a empresa em nota.
“Nossos preços seguem buscando o equilíbrio com o mercado internacional e acompanham as variações do valor dos produtos e da taxa de câmbio, para cima e para baixo”, acrescentou Petrobras em nota.
A Petrobras destacou ainda que “os reajustes são realizados a qualquer tempo, sem periodicidade definida, de acordo com as condições de mercado e da análise do ambiente externo”.
“Isso possibilita a companhia competir de maneira mais eficiente e flexível.”
Anteriormente, a companhia havia reduzido a gasolina e o diesel —combustível mais consumido do Brasil — em 1º de maio.
Apesar dos recuos, o valor médio da gasolina da Petrobras acumula alta de 37% neste ano, enquanto o diesel de 34%, segundo cálculos da Reuters.
Impacto do Câmbio
A queda foi possível apesar de um salto de cerca de 8% nos preços do barril do petróleo Brent desde 1º de maio. Isso porque o dólar, outro indicador importante para calcular a paridade de importação, recuou aproximadamente 6% ante o real no mesmo período.
“Apesar da alta robusta do petróleo, o efeito do dólar foi mais forte e permitiu o ajuste para baixo”, disse o Head de Renda Variável da Valor Investimentos Romero Oliveira, pontuando que o reajuste foi um indicativo de que a Petrobras mantém sua política que busca seguir a paridade de importação.
O presidente da Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), Sérgio Araújo, afirmou que a gasolina da Petrobras está agora com uma defasagem de 9 centavos.
Nas contas da Abicom, diesel está 2% abaixo da paridade de importação.
O impacto de alterações nos preços dos combustíveis feitas pela Petrobras nas refinarias sobre os consumidores finais, nos postos, não é imediato e depende de uma série de questões, como impostos, margens de distribuidores e revendedores, além da adição de biocombustíveis.

administrator

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *