Representantes do governo Maduro perdem status diplomático no Brasil

Representantes do governo Maduro perdem status diplomático no Brasil

O Ministério das Relações Exteriores informou em nota à imprensa na última sexta-feira, 4, que os representantes do governo da Venezuela passam a ser considerados “personae non grata”. O termo em latim significa que o corpo diplomático ligado ao governo Maduro não é mais bem-vindo em solo brasileiro.

Tecnicamente, os diplomatas venezuelanos não estão expulso do país. Desde maio, os funcionários da ditadura venezuelana não podem ser forçados a sair do Brasil, por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Roberto Barroso. O ministro acatou pedido do deputado Paulo Pimenta (PT) para que eles possam permanecer no país durante a pandemia. Todavia, com o anúncio do Itamaraty, se optarem por permanecer no Brasil, os funcionários do governo Maduro perderão os privilégios e imunidades correspondentes à função em território brasileiro.

Relações cortadas com o governo Maduro

O governo brasileiro não reconhece Maduro — o herdeiro político de Hugo Chaves — como legítimo representante do povo venezuelano. Maduro é acusado de perseguir, mandar prender e matar opositores, além de fraude na últimas eleições eleitorais. Junto com outros 11 países que integram o Grupo de Lima, reunião de chanceleres criada para abordar a crise política venezuelana, o Brasil reconhece Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela, que tenta se firmar no poder desde 2019.

FONTE: REVISTA OESTE