Mendes: secretário de Doria foi vítima de ‘constrangimento’

Mendes: secretário de Doria foi vítima de ‘constrangimento’

Político que chegou a ser preso em agosto pela Polícia Federal (PF), Alexandre Baldy foi vítima de “constrangimento ilegal”. Ao menos esse é o entendimento do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Em decisão tornada pública hoje, o magistrado se mostrou favorável ao secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo e aliado de primeira hora do governador João Doria (PSDB).

Filiado ao PP de Goiás, Baldy se tornou alvo de desdobramentos da Operação Lava Jato há dois meses. Preso em 6 de agosto, ele deixou a cadeia dois dias depois, beneficiado por parecer de Mendes. Investigado pela PF em esquema que envolveria empresários e políticos em fraudes de licitações, Baldy viu agentes da PF apreenderem R$ 90 mil em espécie na casa que mantém em Brasília. Além disso, teve R$ 12 milhões bloqueados pela Justiça e foi formalmente denunciado por corrupção pelo Ministério Público Federal (MPF).

Apesar de toda a movimentação por parte de autoridades investigativas contra Baldy, Mendes tirou o caso da Lava Jato do Rio de Janeiro. O integrante do STF encaminhou a ação penal para a Justiça Eleitoral — decisão comemorada pela defesa do aliado de Doria. “O processo deve ser julgado pelo juiz competente, no caso o eleitoral, que com imparcialidade irá averiguar a verdade dos fatos”, disseram os advogados, informa o site do jornal O Estado de S. Paulo.

Demitido?

Preso por dois dias, com dinheiro vivo apreendido, milhões de reais bloqueados pela Justiça e denunciado por corrupção. Apesar desse recente histórico, Alexandre Baldy não ouviu a frase que João Doria dizia nos tempos em que atuou como apresentador de reality show: “Você está demitido”. Sem ser dispensado do primeiro escalão do governo de São Paulo, ele retomou o cargo de secretário do tucano no início deste mês.

FONTE: REVISTA OESTE