Barraqueiros realizam cadastramento para o Festival de Arembepe

Barraqueiros realizam cadastramento para o Festival de Arembepe

As expectativas para a Lavagem de Arembepe 2020 vão além da contagem dos dias para cair na folia e curtir as atrações já confirmadas. Quem também não vê a hora da festa chegar são os trabalhadores informais, que veem na ocasião uma oportunidade de faturar uma renda extra. Nessa perspectiva, dezenas de pessoas compareceram ao Centro Turístico de Arembepe, na manhã desta quinta-feira (5/3), com o intuito de garantir lugar para a comercialização de alimentos e bebidas dentro da Arena de Shows.

A movimentação foi intensa no primeiro dia de cadastramento dos permissionários que irão vender no espaço principal da festa, que será em locais fixos previamente determinados e em conformidade com a organização do festival. Os interessados devem apresentar originais do RG, CPF, comprovante de residência e título de eleitor. Além de comprovar que residem no município, os comerciantes também realizam o pagamento da taxa de uso do solo, no valor de R$ 56,20.

O cadastro visa garantir mais conforto, segurança e comodidade para o público participante, já que as identidades dos profissionais são registradas em um sistema on-line e todos recebem orientações sobre o que não pode ser vendido (garrafas de vidro e espetinhos pontiagudos, por exemplo) e sobre a higiene, tanto no manuseio dos produtos, quanto no ambiente de comercialização.

Ao todo, são 98 oportunidades de negócio para autônomos que atuam com comércio de alimentos e bebidas e têm permissão para trabalhar nesse tipo de evento. O período de cadastro encerra nessa sexta-feira (6/3) e o atendimento acontece das 8h às 16h. A presidente da Associação de Barraqueiros de Arembepe, Lucidalva Souza, 44 anos, elogiou a organização e a atuação da equipe de cadastramento. “Fico muito satisfeita porque vejo que é um processo transparente. Também é positivo o fato de acontecer aqui em Arembepe, perto de nós. Isso facilita a vida dos comerciantes”, declarou.

A vendedora autônoma Jucilene Souza, 29 anos, que comercializa no Festival de Arembepe há mais de uma década, compareceu ao Centro Turístico acompanhada da filha Caueny, de um ano, e garantiu a participação em 2020. “É um evento importante pra mim, pois há muito tempo tem sido uma garantia de renda para minha família. Fico feliz em ver que a festa está ficando cada vez melhor e espero que este ano também seja assim, alegre e lucrativa pra nós”, declarou Jucilene, que durante o verão atua como ambulante na praia.

Esperança semelhante também é percebida na fala do vendedor de bebidas Ivan de Almeida, 46 anos, que atua na festa há 15 anos. “Todos os eventos que acontecem na costa de Camaçari são bons e importantes pra nós, mas o Festival de Arembepe é onde a gente mais vende. Nossa expectativa é a melhor possível, atender bem os nossos clientes e vender bastante”, afirmou.