Paulo Carneiro é destituído do cargo de presidente do Vitória, após votação de sócios em AGE

Paulo Carneiro é destituído do cargo de presidente do Vitória, após votação de sócios em AGE

Eleito pelos sócios, destituído pelos sócios.

Paulo Carneiro já não faz mais parte do cenário político do Vitória. Pelo menos não de forma oficial. O cartola viu sua passagem pelo clube chegar ao fim na manhã deste sábado, durante a realização de uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE), no Barradão, onde os sócios do Rubro-Negro votaram pela destituição do gestor.
A saída de um presidente após votação dos associados é inédita na história do clube, que, apesar de centenário, só recentemente abraçou a democracia.
Como o vice-presidente Luiz Henrique Viana já havia renunciado ao cargo, o clube passa a ser gerido de forma oficial por Fábio Mota. O presidente do Conselho Deliberativo já estava no comando desde outubro do ano passado, interinamente.

O estatuto do clube prevê a realização de novas eleições, mas apenas no fim da temporada, porque Paulo Carneiro cumpriu mais de 5/6 do seu mandato. O ex-presidente se torna inelegível para qualquer cargo político no Vitória pelos próximos sete anos.
Paulo Carneiro foi eleito presidente em abril de 2019 e estava afastado do cargo desde setembro do ano passado, após o Conselho Deliberativo do Vitória aprovar parecer da Comissão de Ética que apontou indícios de gestão temerária.
Ausência de um contrato entre o clube e a empresa Magnum, que recebeu R$ 3.586.068,00 do Vitória;
Adiantamento de remunerações feito por Paulo Carneiro, presidente do Conselho Diretor, durante a pandemia.
Crise política
Eleito em uma chapa que contava com apoio de ex-presidentes do clube, Paulo Carneiro perdeu força política ao longo do tempo. Nos bastidores, criticava-se a postura centralizadora do gestor, que não conseguiu contornar a crise financeira nem dar resultados dentro de campo. Ex-apoiadores, Ademar Lemos, Manoel Matos e Alexi Portela romperam com o dirigente.
Paulo Carneiro também entrou em atrito com o Conselho Fiscal do clube, que fez denúncias sobre a dificuldade de fiscalização, além de apontar irregularidades na gestão. A partir delas, uma comissão processante foi criada pelo Conselho Deliberativo para investigar a gestão.

Na gestão Paulo Carneiro, o Vitória amargou lutas contra o rebaixamento na Série B e foi eliminado ainda na primeira fase do Campeonato Baiano. Presidente desde o afastamento, Fábio Mota não conseguiu evitar a queda do time para a Terceira Divisão em 2021.
Na atual temporada, o gestor segue com problemas em campo. O Rubro-Negro caiu na primeira fase do Campeonato Baiano e está na zona de rebaixamento da Série C, após seis rodadas disputadas.

+ Paulo Carneiro nega culpa por rebaixamento do Vitória: “Não bato escanteio nem tiro de meta”

administrator

Related Articles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *