Rogério Caboclo comprou jato para a CBF no dia em que foi denunciado